Autoestima: 14 hábitos poderosos para aumentar a sua e viver bem

autoestima

Ter uma autoestima saudável é fundamental para viver bem, ser mais feliz e realizado; do contrário, você pode ter sérios problemas em diversas áreas da vida.

É certo que a autoestima auxilia também na motivação, no bem estar mental e na qualidade de vida como um todo, sobretudo nas relações com o mundo exterior.

Cansado de se sentir inferior e incapaz -um lixo-? Veja como mudar isso!

autoestima-elevada
Autoestima elevada

A baixa autoestima pode afetar a vida como um todo, como destruir sonhos e carreira, abalar relacionamentos e pode levar o indivíduo até mesmo a desistir da própria vida.

Uma autoestima saudável, por outro lado, pode te ajudar a se sentir mais motivado e predisposto a alcançar os seus objetivos, porque tende a confiar que é capaz e merecedor.

Contudo, uma autoestima muito alta ou muito baixa também pode trazer sérios problemas. Logo, conhecer o seu nível pessoal pode te ajudar a encontrar o equilíbrio que faça bem para você.

Atenção, esse é um artigo bastante rico em informações e segue uma ordem cronológica.

Caso prefira ir para os 10 hábitos para aumentar a autoestima, use o sumário abaixo.

O que é autoestima?

Na psicologia, o termo autoestima se refere ao senso geral subjetivo, ou julgamento, de uma pessoa sobre seu valor ou dignidade.

A psicanálise, por sua vez, explica que a autoestima está ligada diretamente ao desenvolvimento do ego.

Sigmund Freud, considerado o pai da psicanálise, usava a expressão alemã Selbstgefühl, que significa “consciência de uma pessoa a respeito de si mesma” e “vivência do próprio valor a respeito de um sistema de ideais”.

Segundo Freud, a autoestima é a junção desses conceitos.

Em outras palavras, a autoestima pode ser definida como o valor que você dá a si mesmo, o quanto se aprecia ou aprova diante das situações.

Essa percepção pessoal afeta nossas ações e pensamentos, onde podemos nos sentir inferiores ou superiores aos outros.

A autoestima é uma necessidade humana

A dinâmica do desenvolvimento da autoestima fascina muitos teóricos e estudiosos. Por isso ela aparece em várias linhas de conhecimento.

Dentre elas, o conceito exerce um papel importante na famosa Hierarquia das Necessidades do psicólogo Abraham Maslow, onde caracteriza a estima como uma das motivações humanas básicas.

mulher-com-autoestima-saudavel
Mulher com autoestima saudável

Na pirâmide das necessidades, a estima é o quarto nível, e é focada em princípios como respeito, confiança, status, reconhecimento, realização e prestígio (McLeod, 2017).

Além disso, Maslow recomenda que, para aumentar a autoestima, se faz necessário tanto o autorrespeito interior quanto o apreço das outras pessoas.

Para que o indivíduo atinja a autorrealização e siga crescendo, esses dois princípios devem ser satisfeitos.

Lembre-se que a definição de autoestima é diferente de autoeficácia, que envolve uma crença ou confiança pessoal da própria capacidade de resolver ou realizar algo.

Causas da baixa autoestima

A autoestima pode ser influenciada por muitos fatores, como por exemplo:

  • Autoconfiança;
  • Genética;
  • Senso de segurança;
  • Senso de pertencimento;
  • Senso de competência e habilidades;
  • Personalidade;
  • Estados de saúde;
  • Padrões de pensamentos;
  • Crenças limitadoras;
  • Medos;
  • Status econômico;
  • Traumas do passado, e, principalmente,
  • Comparação com os outros.

Embora as experiências do passado serem apontadas como fatores principais, outros também devem ser levados em consideração, como discriminação, racismo e genética.

Por exemplo, julgamentos e críticas negativas constantes tendem a destruir a autoestima da pessoa, ao contrário de alguém que está frequentemente em um ambiente saudável, que terá maiores chances de ter uma autoestima poderosa.

mulher-triste

Estudos sugerem que as mídias sociais também afetam a autoestima. Isso porque as pessoas tendem a se comparar, sobretudo com o lado “quase perfeito” das pessoas que é exposto.

É preciso entender que as redes não representam necessariamente a vida real e o que é postado geralmente é a melhor impressão possível de uma pessoa.

Porém, para manter uma autoestima saudável você não precisa desistir das sociais, basta se atentar e manter-se na perspectiva certa.

O uso moderado da web pode ser benéfico quando, por exemplo, usamos os posts como motivação e inspiração.

A autoestima não é fixa

De acordo com a psicologia, a autoestima não é fixa. Pelo contrário, ela é flexível e podemos moldá-la através de práticas diárias. Nesse artigo listamos 10 exercícios simples e poderosos para aumentar a autoestima.

Além disso, experimentos indicam que a autoestima costuma ser baixa na infância e tende a aumentar na adolescência, bem como na idade adulta, alcançando um grau bastante estável e duradouro.

Por esse motivo, a autoestima se assemelha ao processo de desenvolvimento de traços de personalidade no decorrer da vida.

Autoestima saudável

A pessoa que tem uma autoestima saudável sabe do seu potencial, e isso gera mais confiança para assumir novos desafios.

autoestima-saudavel
Autoestima saudável

Direta ou indiretamente, a autoestima elevada interfere de maneira positiva em diversos pilares da nossa vida, como nas tomadas de decisão, saúde emocional e qualidade de vida.

Nos relacionamentos, são capazes de estabelecer limites apropriados e manter uma relação saudável consigo mesmo e as outras pessoas.

Em geral, lidam bem com as críticas, com os erros e em dar e receber elogios. São seguras e capazes de discutir fatores como experiências, ideias, curiosidades e oportunidades.

Características da autoestima saudável:

  • Apreciar a si mesmo e aos outros;
  • São cientes das próprias habilidades;
  • Tem uma visão positiva da vida;
  • Mantém relações saudáveis;
  • Lidam bem com críticas e não levam para o lado pessoal;
  • Dizem não quando querem;
  • Sentem confiança;
  • Buscam crescer como pessoa;
  • Buscam realizações e significados na vida;
  • Reconhecem e aceitam os seus sentimentos;
  • Mantém relações saudáveis consigo mesmo e com o outro;
  • Buscam trabalhar em si a criatividade;
  • Tomam decisões que eles consideram importantes;
  • Aceitam as outras pessoas como são, sem tentar mudá-las;
  • Tendem a apoiar e colocar os outros para cima;
  • Se concentram naturalmente para resolverem problemas;
  • Recusam serem manipulados;
  • Expressar suas convicções pessoais e necessidades;
  • Valorizam e tendem a fazer a diferença no mundo;
  • Evitar remoer experiências negativas o passado;
  • Acreditam que não são melhores nem piores do que ninguém;
  • São autênticos ao invés de esconder ideais e ser aceito;

Baixa autoestima

Pessoas que sofrem de baixa autoestima são, em sua maioria, inseguras de suas capacidades.

baixa-autoestima
Baixa autoestima

Elas podem até mil e um sonhos, mas não tem motivação suficiente para tentar coisas novas, agir, se movimentar para fazer acontecer.

Na verdade, lá no fundo elas não acreditam que são capazes de conquistar o que desejam.

Elas podem enfrentar dificuldades com relacionamentos, sobretudo porque geralmente seus níveis de confiança são extremamente baixos e sentem que não são dignas de viver um amor.

Pode acarretar uma gama de transtornos de saúde mental, como ansiedade e depressão, afetando a qualidade de vida do indivíduo e aumentando o risco de ter pensamentos suicidas.

Características da baixa autoestima:

  • Se zangar e se irritar facilmente;
  • Se odiar;
  • Sentir que suas opiniões não são importantes;
  • Sentir dificuldades em expressar suas necessidades;
  • Suas ações nunca são boas o suficientes;
  • Sensível à opinião alheia;
  • Insegurança;
  • Você duvida constantemente;
  • Sente-se triste e inútil;
  • Sente dificuldade em manter relações;
  • Evita correr riscos e tentar coisas novas;
  • Você se vicia facilmente;
  • Você não sabe dizer não e estabelecer limites;
  • Você tem dificuldades em receber elogios;
  • Você é pessimista e negativo;
  • Sente medo, depressão e ansiedade;
  • Você não acredita em si mesmo;
  • Você se compara com os outros;
  • Você sempre se coloca em segundo lugar;
  • Concentrar em seus pontos fracos;
  • Sentir medo e preocupação excessiva;
  • Tem uma visão negativa da vida;
  • Sentir falta de controle;
  • Medo intenso de fracassar;
  • Dificuldades para aceitar elogios;

Autoestima exagerada

A autoestima exagerada pode resultar em problemas nos relacionamentos afetivos e sociais.

Quando o assunto é habilidade, pode destruir o autoaperfeiçoamento, uma vez que a pessoa tende a se ver perfeita e tem dificuldade em aceitar críticas.

Além disso, uma visão de si mesmo acima da realidade pode resultar em frustrações e decepções. Por exemplo, a pessoa pode se achar no direito de alcançar algo, ainda que não tenha as capacidades necessárias que sustentam a crença em si.

A autoestima excessivamente elevada pode, por vezes, ser confundida com narcisismo, apesar de não ser a mesma coisa. Pessoas com características narcisistas costumam ter autoestima instável, oscilando de acordo com a situação.

Características da autoestima exagerada

  • Se preocupam em ser perfeitas;
  • Focam em sempre estar certas;
  • Acreditar que não podem falhar;
  • Podem acreditar que são melhores que os outros;
  • Expressam ideias grandiosas;
  • Supervalorizar grosseiramente suas qualidades;

Como aumentar a autoestima

Você deve estar se perguntando como aumentar a autoestima, não é mesmo?

Felizmente, a autoestima pode ser trabalhada através de exercícios simples. Confira a lista que preparamos para você.

1 – Identificar e observar os seus padrões negativos

identifique-padroes-negativos

Primeiramente, precisamos entender quais padrões distorcidos afetam a sua autoestima.

Pensamentos como inferioridade e incapacidade podem ser originados de uma ideia falsa que sustentamos como verdade.

Lembre-se que nós não somos os nossos pensamentos, e que as ideias que surgem na nossa mente nem sempre são verdades.

Pelo contrário, nós somos a consciência que observa e analisa se um pensamento está de acordo com os nossos conceitos, com aquilo que realmente somos e acreditamos.

Analise a sua conversa interna para tomar consciência dos julgamentos que o seu subconsciente está fazendo.

Faça uma lista com as ideias estúpidas mais comuns, assim você consegue ter uma noção melhor a respeito do que pode estar destruindo a sua autoestima.

2 – Desafie seus padrões negativos

confronte-suas-crencas

A finalidade desse exercício é quebrar e ressignificar crenças limitantes nocivas através de um diálogo interno.

Pegue essa lista de conceitos inadequados e tente contrariá-los com outros mais realistas e positivos, como se estivesse analisando a situação com mais profundidade.

Por exemplo, se você acredita que é inferior aos outros, contrarie-se perguntando: “por que eu seria inferior se todos são iguais?”

Ou se você acha que não pode confiar nos outros, porque pode ser traído, pense consigo mesmo sobre como “muitas pessoas mantêm relações saudáveis umas com as outras”.

3 – Não se compare com os outros

A comparação é uma das armadilhas mais comuns, sobretudo nas redes sociais, onde é possível transmitir uma imagem lapidada e melhorada de si mesmo.

Você só deve se comparar com você mesmo. (Grohol, 2011).

As pessoas são diferentes, cada uma tem suas próprias experiências, recaídas, problemas e satisfações. Cada um em seu processo. Não existe uma base para se comparar.

4 – Faça uma lista de base para a autoestima

Um inventário pode ajudá-lo a ter mais clareza dos seus pontos fortes e pontos fracos. 

Parece besta mas pode ser extremamente poderoso.

Faça uma lista com 10 dos seus pontos fortes e 10 pontos fracos.

O que você faz bem? O que você gosta?

Esse exercício te ajuda a ter uma visão mais verdadeira sobre si.

5 – Seja realista com suas metas

Definir metas realistas e alcançáveis pode, além de elevar a sua autoestima, prevenir grandes transtornos.

Não tem nada de errado em querer se superar e bater metas ousadas, o problema pode surgir quando você decide, ou é forçado, a alcançar algo que está totalmente fora do seu alcance.

Fazer isso sem parar pode acarretar em muitas falhas e você se sentir inferior e fracassado.

O uso de metas menores e alcançáveis, por outro lado, torna suas conquistas mais fáceis, e essas vitórias, milagrosas ou não, mostram para a sua mente que você é capaz e vencedor, o que tende a levar a sua autoestima nas alturas.

6 – Deixe a perfeição de lado

Reconheça suas conquistas e falhas. Somos humanos, e por isso, estamos suscetíveis a falhas. Ninguém é perfeito.

Na verdade, tentar ser impecável o tempo todo pode resultar em muitas infelicidades, decepções e procrastinação.

Ao identificar e aceitar os próprios méritos e erros, nos mantemos otimistas enquanto aprendemos e crescemos com as falhas.

Desistir da perfeição é necessário e libertador. Aceite o desafio!

7. Pratique a autoaceitação

autoaceitacao

Tudo que resistimos, persiste. Por isso, aceitar o que temos de melhor e pior, assim como aquilo que rejeitamos, é importante.

Somos seres únicos, e todos temos pontos fortes e fracos. Aquilo que você faz muito bem pode ser o ponto fraco do outro, e assim sucessivamente.

Tente enxergar além de seus próprios julgamentos. As diferenças fazem parte da vida e não são ruins. Ao contrário, é normal e está tudo bem. Por vezes, é até melhor.

A diversidade faz parte do funcionamento saudável do mundo, onde as habilidades se complementam e a unidade acaba sendo essencial para o crescimento de todos.

Aceite que você é diferente de todos os outros.

Use seus pensamentos para focar nas suas diferenças que fazem você se destacar no mundo.

8. Gratidão ajuda a aumentar a autoestima

gratidao-para-autoestima

A gratidão pode ser uma aliada à autoestima. Estudos apontam que pessoas que sentem gratidão diariamente estão mais satisfeitas com suas vidas. (Wood, 2008)

Sentir gratidão também é viver no agora, notar o lado bom das coisas, o bem que existe dentro de nós mesmos, e o impacto positivo que nossas ações têm no mundo. 

Além disso, os efeitos positivos da gratidão incluem:

  • mais felicidade
  • aumenta o humor
  • menos esgotamento mental
  • melhor saúde física
  • menos fadiga
  • ajuda a dormir melhor
  • mais resistência
  • estimula o desenvolvimento da paciência, sabedoria e humildade.

No universo da lei da atração, quando somos gratos e nos sentimos felizes, o Universo conspira para que mais situações sejam criadas que nos faça sentir cada vez mais gratidão e felicidade. Incrível, né?

O ato de agradecer nos revela uma perspectiva de mundo positiva que, em outras situações, ignoramos.

9 – Busque se distrair

se-distraia-autoestima

Um filme engraçado, vídeos de pegadinha, desenhos animados, ter um hobbie, ler livros, praticar um esporte, ou quem sabe, ir ao cinema. Esses são exemplos de atividades que podem divertir você.

O que faz você sorrir e se sentir feliz? 

Se distrair pode ser extremamente poderoso, pois além de liberar o estresse e a ansiedade, tira você de padrões de pensamentos negativos.

10 – Busque o autoconhecimento

autoconhecimento
Autoconhecimento pode ajudar a desenvolver autoestima saudável

Autoconhecimento é sobre se descobrir e estar em paz consigo mesmo.

Através dele, podemos compreender melhor seus pontos fortes e os fracos, assim como as limitações e suas origens. 

É um ingrediente fundamental no caminho pela recuperação do amor próprio e exige persistência, tentativas e erros, pois é um caminho que envolve muitas descobertas sobre si mesmo.

Além disso, é um caminho que deve ser trilhado com propósito e zelo.

11 – Pratique exercícios físicos

exercicio-para-autoestima
Exercícios físicos ajudam na autoestima saudável

Exercícios físicos ajudam a aumentar a autoconfiança. Além disso, seus efeitos positivos são comprovados pela ciência.

Entre eles, estão:

Hormônios da felicidade

A prática de exercícios libera neurotransmissores do bem no corpo, ligados a sensações de prazer e bem-estar.

Como resultado, há um aumento nos pensamentos positivos e você se sente mais feliz e melhor consigo mesmo.

O seu humor é ampliado instantaneamente sem precisar recorrer a remédios e substâncias prejudiciais à saúde.

Ajuda na autoimagem corporal

A baixa autoestima costuma estar ligada à autoimagem corporal, que pode ser melhorada com os exercícios.

Ainda que você não veja uma mudança radical em pouco tempo, poderá notar muitas mudanças positivas, como mais leveza, resistência, postura e força, o que beneficia a autoconfiança.

Superação de limites

A prática de exercícios incentiva a superar limites e desafios, o que também está ligado a confiança em si mesmo.

A medida que a pessoa progride nas atividades, o próximo passo acaba se tornando mais fácil.

12. Eliminar a culpa é essencial

elimine-a-culpa

Manter sentimentos de culpa podem destruir a sua autoestima. Sim, ficar remoendo o passado, nos culpando pelo que fizemos ou deixamos de fazer, por exemplo, faz com que nos sintamos paralisados.

Muitas vezes resultam em ciclos de pensamentos de autodepreciação, como “Eu fiz isso porque sou um idiota”, que corrompem a sua autoestima saudável.

A culpa não trás nenhum benefício para o seu processo de evolução.  

Ao invés disso, lembre-se que só podemos mudar o nosso presente, e busque encarar as situações com mais leveza e compaixão. Lembre que estamos em um processo de evolução, e que as decisões que tomamos no passado era o melhor que sabíamos.

13. Meditação para autoestima

meditacao
Meditação para autoestima

Manter uma prática regular de meditação pode ser benéfica para a autoestima saudável. 

Isso porque, o ato de silenciar a mente, observar e separar-se dos seus pensamentos pode fazer você sentir mais paz interior, segurança e concentração para lidar com os desafios.

Por mais que a prática pareça estranha, sobretudo devido aos seus praticantes serem, em sua maioria, espiritualistas, os benefícios da meditação são comprovados cientificamente. 

Além disso, a meditação ajuda a diminuir a ansiedade e o estresse, duas das principais causas da baixa autoestima. A introspecção, que é a observação e reflexão interior, constrói autoconfiança, e você permanece no presente, se distanciando dos problemas.

Dicas rápidas para autoestima

Além das práticas preciosas listadas acima, separamos outras que podem complementá-las. São:

  • 1. Passe mais tempo com pessoas que te animem;
  • 2. Retribua a ajuda dos outros;
  • 3. Comemore suas vitórias, por menores que possam parecer;
  • 4. Invista no que te faz feliz
  • 5. Mude o que puder, e deixe ir o que não pode;
  • 6. Fale consigo mesmo como faz um amigo;
  • 7. Se envolva em programas extracurriculares;
  • 8. Adquira sua singularidade;
  • 9. Seja mais compassivo com seus erros;
  • 10. Seja sincero consigo mesmo, não minta para você;
  • 11. Lembre das suas realizações;
  • 12. Mantenha seus sonhos em segredo;
  • 13. Encontre o seu sentido da vida.

14 – Afirmações positivas para autoestima

autoestima-exemplo

Afirmações positivas são ótimas para aumentar a autoestima. Para fazer uso delas, declare-as no tempo presente, sempre focando no resultado desejado.

Separe um tempo e diga regularmente algo positivo sobre você e sobre os momentos pelos quais sente insegurança.

  • Eu continuo aprendendo e crescendo a cada dia;
  • Os erros são aprendizados que me fazem mais forte;
  • Eu mereço ser feliz e obter sucesso;
  • Eu sou inteligente, competente e capaz;
  • Eu amo a pessoa que estou me tornando;
  • Eu acredito no meu potencial;
  • Eu tenho ideias incríveis;
  • Eu sou digno das coisas boas que acontecem na minha vida;
  • Eu mereço ser amado;
  • Estou confiante com meu plano de vida e as coisas já estão dando certo;
  • Deixo ir os sentimentos negativos sobre mim e aceito só o melhor;
  • Estou aprendendo tudo que preciso para ter sucesso.
  • Atuo da melhor forma possível em todas as situações.
  • Escolho sentir-me bem comigo mesmo. Mereço o amor que sinto por mim.
  • Sou capaz de cuidar bem de mim. Reconheço e uso o meu próprio poder.
  • Eu respeito-me e me faço-me respeitar.
  • Não importa o que os outros digam ou façam. O que importa é como escolho reagir e o que escolho acreditar a meu respeito.
  • Respiro fundo e permito-me relaxar. Todo o meu corpo se acalma.
  • Sou amado e aceito-me exatamente como sou, aqui e agora.
  • Vejo o mundo pelos olhos do amor e da aceitação. Tudo está bem no meu mundo.
  • A minha autoestima é alta porque respeito a pessoa que sou.
  • Liberto-me de qualquer necessidade de luta ou sofrimento. Mereço tudo o que é bom.
  • A minha vida melhora a cada dia que passa. Anseio pelo que cada momento novo trará.
  • Sei quem sou e não preciso provar o meu valor a ninguém.
  • Hoje, nenhum lugar, pessoa ou coisa pode irritar-me ou perturbar-me. Escolho estar em paz.
  • Sou um ser radiante que aproveita a Vida ao máximo.
  • Sei que sou capaz de encontrar a solução para cada problema que possa vir a criar.
  • A Vida apoia-me de todas as maneiras possíveis.
  • Os meus pensamentos sobre saúde, otimismo e amor refletem-se nas minhas experiências.
  • Ando pela Vida sabendo que estou seguro, protegido e sou guiado pelo Divino.
  • Aceito os outros como são e, em troca, eles aceitam-me.
  • Sou uma pessoa maravilhosa e sinto-me muito bem. Agradeço pela minha vida.
  • Este é o único momento que viverei hoje. Escolho aproveitá-lo ao máximo.
  • Tenho a autoestima e a confiança necessárias para avançar pela vida com facilidade.
  • Eu amo-me exatamente como sou e não exijo nada de mim para me amar.

Livros poderosos que podem te ajudar a aumentar a autoestima e ser feliz

  • Manual do Amor Próprio, de Mica Rocha;
  • Quando Me Amei De Verdade, de Kim McMillen e Alison McMillen;
  • Você Pode Curar a Sua Vida, de Louise Hay;
  • A Arte da Imperfeição – Brené Brown;
  • Autoestima: Como Está a Sua? de Matthew McKay e Patrick Fanning.

Conclusões e sugestões para autoestima

Por mais que não sejamos capazes de mudar algumas causas comuns que afetam a autoestima, como hereditariedade e vivências da infância, algumas medidas permitem que se sinta mais reconhecido e confiante.

Somos humanos, e, ninguém é menos merecedor de algo. Entender isso é fundamental para cultivar uma autoestima saudável.

autoestima-em-dia

É normal querermos ajudar todo mundo. Mas, antes de se atrever a ajudar alguém, precisamos estar bem consigo mesmo.

Se você está passando por momentos infelizes, comece olhando para si mesmo, veja que você merece uma nova chance, e que todas as portas se abrirão para você.

Pratique os exercícios, e sobretudo, tenha autocompaixão. Nesse momento, cuide de você para se sentir bem.

O que você pode fazer para se sentir mais confiante e feliz?

Esse é o momento de você cuidar de si mesmo.

Em casos mais graves, procure atendimento médico ou terapêutico.

Preparamos esse post com todo carinho para você. Espero que tenha gostado! Foi útil pra você? Te inspirou de alguma maneira? Comente abaixo nos comentários! Até a próxima!

Fontes: Positive Psychology, Verywell Mind.